quarta-feira, 30 de maio de 2012

Nunca pedi muito a Deus...
... não queria dinheiro... não queria riqueza... não queria o carro do ano nem queria ser importante ou alguém de sucesso... só queria ter o meu filho comigo... poder tê-lo nos meus braços (nem que fosse por breves instantes)... ouvir o choro dele... poder olhar para ele... abraçá-lo... vê-lo crescer... 
... a palavra mágica que o meu coração chora todos os dias ao qual eu sei que ele nunca vai dizer...     "MAMÃ"
Meu Deus... ajuda-me... conforta-me... pois é muito difícil viver com este buraco dentro do meu peito...
Amo-te até ao infinito meu guerreirinho... minha vida... meu sonho...
De repente... perdi-te... fiquei sem nada... de barriga vazia... de mãos vazias... sem nada...
Ajuda a mamã meu anjo... é muito difícil suportar esta dor... este vazio...
Olha pelo mano e pelo papá... eles também te amam muito... o mano tem muitas saudades tuas... está muito triste por não te poder abraçar...
As saudades são imensas... o vazio do meu coração é imenso... ás vezes no silêncio fecho os olhos e só te vejo a ti, imagino-te em todo o lado... de como seria se estivesses aqui... certamente tudo diferente!
Mas Deus assim o quis... Deus quis que fizesses parte do céu celeste...
Amamos-te muito meu filho... meu eterno filho... meu anjinho...
Até um dia... no céu!


Saudades tuas....



A vida continua... será???
Para muitos sim...

... mas para quem perdeu um filho, um pedaço de si, a vida parece que pára... é como se o ponteiro do relógio parasse de badalar...
Silêncio, dúvidas, porquês... há tantos porquês, oh se há e na maioria das vezes sem respostas...
Ouvimos muitas vezes da boca das pessoas... ás vezes sem a intenção de magoar, mas que magoam... era apenas um bebé, se fosse mais velho era pior e blá blá blá blá, mas esquecem-se que antes dele nascer viveu dentro de mim 8 meses... um amor incondicional... e a vida? Ahhh essa sim, o tempo não pára mas a saudade a cada dia que passa aumenta mais... será que um dia voltaremos a sorrir????
Se hoje pudesse fazer um pedido a Deus, pediria-lhe mais alguns instantes com o meu filho...
... para poder beijá-lo, abraçá-lo e dizer o quanto ele é amado... saudades muitas muitas meu filho... meu príncipe Afonso...
... mas o tempo não volta para trás e a vida continua... será????



Saudades meu anjinho...
Amo-te para todo o sempre...
Mamã Ana!




























sexta-feira, 18 de maio de 2012

Faz hoje 8 meses que o meu amor ganhou umas asinhas e voou para junto de Deus...

Durante este tempo todo, já tive vários momentos... uns bons, outros nem por isso, mas a pergunta continua cá... o "porquê" desta separação tão dura e tão repentina!
Diz-se por aí que tudo na vida não acontece por acaso... mas sim porque tudo tem uma razão de ser. E por mais que eu tente não consigo encontrar as respostas certas para as minhas perguntas.
Não consigo entender o "porquê":
* de ser eu a escolhida por Deus para dentro de mim gerar um anjinho...
* de ser eu a escolhida a ter de passar por esta dor, por esta perda... de ficar sem ti meu filho!

APENAS PERGUNTO PORQUÊ???? PORQUÊ EU??? PORQUÊ NÓS???

Fica a lembrança dos momentos que passámos juntos contigo no meu ventre, das poucas horinhas que passámos lado a lado, a saudade e um vazio no coração e na alma...
Ainda não existe nenhum remédio que faça sarar a ferida que tenho no meu peito, apenas existem analgésicos para aliviar a dor...

Muitas saudades tuas meu pequeno guerreirinho... meu eterno anjinho Afonso (nosso Afonsinho).

Com muito amor da mamã que jamais te esquecerá...

ATÉ UM DIA MEU FILHO... NO CÉU!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Quero voar livre, colorir, enfeitar...
Quero ser borboleta, livre, leve e solta...
Quero polinizar com amor, cor, e felicidade, todas essas flores que cativei por aqui...
Saudades muitas, mas já estou sobrevoando... 


8 meses de saudade... 8 meses de coração que chora de saudade...

Mas prossigo de pé... Com esperança no dia do reencontro..
Amo-te até o infinito ida e volta...
Muitas saudades de ti meu pequeninho Afonso
Amar-te-ei eternamente..
Com amor mamã Ana




segunda-feira, 7 de maio de 2012

Mais uma meta cumprida na nossa árdua caminhada...

Ontem foi Dia da Mãe, um dia triste porque não tenho o meu Afonso aqui comigo mas ao mesmo tempo feliz, pois tenho o meu Martim.
Foi um dia diferente, passámos-lo junto de outras mães que perderam os filhos assim como eu e também com a Associação Artémis...
Ás 16h na ponte pedonal no parque verde em Coimbra lançámos os nossos balões para os nossos anjinhos...
Uma homenagem linda... Um momento único de dor, alegria, saudade... 
Quando o balão subia, subia, imaginei logo o meu anjinho Afonso a apanhá-lo. Lindo...
Obrigada Associação Artémis por fazer deste dia, um dia único!


quarta-feira, 2 de maio de 2012



Já perdi os meus avós paternos e avô materno, um tio, meu paizinho que eu tanto amo (faz dia 1 de Junho de 2012 três anos) e agora o meu guerreirinho Afonso.
Se dói? Dói... dói muito porque quanto menos esperamos e quando só pensamos que acontece aos outros... também nos acontece a nós. 
Viver o luto faz doer a alma, só quem passa por isto sabe do que estou a falar.
A família é o que temos de mais sagrado nesta vida, é nosso porto seguro onde nos sentimos protegidos do mundo e onde somos nós mesmos de verdade.
A dor de perder um filho é indescritível, é o pior sentimento que uma mãe pode sentir, porque choramos pelo que não vivemos e choramos porque não veremos os nossos filhos crescer. 

As únicas recordações que podemos guardar são os momentos lindos que vivemos enquanto eles ainda estavam juntinhos de nós.

Bom dia a todas....
Hoje sinto-me triste mas com vontade de erguer a cabeça e seguir em frente!
Tenho o meu coração despedaçado de tanta tristeza...
Não estava preparada para passar por isto...